Anúncios

NOSSOS ERROS E OS OUTROS

Quando deixamos de fazer algo é porque estamos muito ocupados. Quando o outro não o faz, é porque está desorganizado.

Quando falamos, é uma crítica construtiva. Quando o outro fala, está te atacando.

Quando defendemos uma idéia, é convicção. Quando o outro o faz, é obstinado.

Quando não cumprimos é distração. Quando o outro não cumpre, quebra nossa confiança.

Quando mentimos, ocultamos algo. Quando o outro mente, dizemos que engana.

Quando reclamamos, lutamos por nossos direitos. Quando o outro reclama, é prejudicial.

Quando falamos de nós mesmos, é porque necessitamos nos reconhecer. Quando o outro fala de si mesmo, é um presumido.

Quando fazemos alguma coisa sem idicação prévia é iniciativa. Quando o outro faz, está se excedendo em suas funções.

Quando progredimos é fruto de muito trabalho. Quando o outro progride, teve sorte.

Esse texto demostra como mudams de vocabulário quando nos referimos a nós mesmos ou quando nós estamos nos referindo a outras pessoas.

Parece que quando falamos de nós, queremos evitar toda culpabilidade. Quando falamos do outro, quase sem vontade, os culpamos sem pensar como se sentiram.

 

Esse texto é parte da mensagem de Iehuda Gitelman, líder do Centro Israelita de Porto Alegre. Achei muito interessante. Pense e medite sobre esse texto. Shalom para ti!